Muzambinho está há longos 55 anos sem o “trem de ferro”

Desta estrada de ferro que nunca chegou a Muzambinho restam hoje apenas 35 quilômetros pertencentes a FCA – Ferrovia Centro Atlântica, esse trecho fica entre as cidades de Varginha e Três Corações.

 

Há exatos 55 anos, em 07 de novembro de 1966, Muzambinho deixava de ser atendida pelo trem de ferro. O que se sucedeu foi a desativação de vários ramais da Mogiana no Sul de Minas Gerais. Nesta época, o país começava a troca dos trens por caminhões e dava início ao sucateamento de nossas ferrovias, um claro sinal de atraso!

 

O nome de Muzambinho tem forte ligação com estradas de ferro. Primeiramente foi criada a EF Muzambinho (Estrada de Ferro Muzambinho) em 1894 e encerramento de atividades em 1908. Isso mesmo, esta ferrovia não chegou a sair do papel, o que rendeu uma charge da Revista “O Malho” – Rio de Janeiro em 1908. Na charge os presidentes da república Afonso Penna e de MG, João Pinheiro, questionam a compra da Estrada de Ferro Muzambinho pelo estado, uma vez que ela ainda não havia sido concluída. Prejuízo na certa nesse negócio de compadres. (Nesta publicação vocês poderão ver a página original – Ilustração da pág. 19 da revista em 1908, com uma sátira política sobre a situação ocorrida).

 

Desta estrada de ferro que nunca chegou a Muzambinho restam hoje apenas 35 quilômetros pertencentes a FCA – Ferrovia Centro Atlântica, esse trecho fica entre as cidades de Varginha e Três Corações.

 

COMPANHIA MOGIANA DE ESTRADAS DE FERRO

A ferrovia chegou a Muzambinho somente em 1913, mas tal fato deveria ter ocorrido bem antes. A cidade já existia desde o século XIX, e no início do século foi constituída a E. F. Muzambinho, que citei acima, ferrovia esta, que acabou desapropriada pela União, repassada para o governo mineiro, daí para a E. F. Sapucahy, que a repassou para a Mogiana. Isto tudo antes que qualquer obra efetiva houvesse sido feita. Foi efetivamente a Mogiana que obteve a concessão, em 1908, para ligar Muzambinho a Dores do Guaxupé. E, efetivamente, o primeiro trecho entregue do ramal foi esse, com Muzambinho como ponta de ramal. A inauguração prevista para janeiro de 1913, foi adiada para abril desse mesmo ano.

 

Em 1914, um ano depois, o ramal foi prolongado até Tuiuti (hoje Juréia) três estações à frente, para ali se encontrar com a Rede Mineira de Viação, que vinha com sua linha desde Cruzeiro, no ramal de São Paulo da Central do Brasil, cruzando assim boa parte do sul de Minas Gerais. Minha mãe Dona Anna que nos deixou no ano passado aos 87 anos, sempre muito lúcida me contava que vinham a pé ou a cavalo do bairro rural São Bento que pertencia a Muzambinho naquela época e hoje faz parte de Juruaia que se emancipou em 1948. Ela e seus irmãos para viajarem a Aparecida “do Norte” pegavam o trem da “Mujana” em Muzambinho ou iam até Juréia também a pé e pegavam a Rede (R.F.F.S.A).

 

Outro fato que ouvia de minha mãe com muita clareza era o de sua mudança de Nova Resende para Muzambinho em 04/11/1966, e apenas três dias depois a tristeza para a cidade e região em 07/11/1966, por terem cortado o trem de ferro. Eu, chegaria ao mundo logo depois em 17/12/1966. Mas essa é outra história! Rsrrs

 

A seguir compartilho com vocês outras fotos e matérias históricas desse período.

Pesquisa: site estações ferroviárias do Brasil e Revista “O Malho” edições dos anos de 1906 e 1908 – RJ. Fotos: Arquivo pessoal, Sou Mais Muzambinho e Estações Ferroviárias do Brasil.

 

Jorge Luiz Gonçalves

Muzambinhense residente em Ribeirão Preto/SP

 

Compartilhe essa notícia!

Facebook
WhatsApp
Telegram
Imprimir
plugins premium WordPress